O Banco de Portugal reviu em alta as previsões para o crescimento económico do país, prevendo que o Produto Interno Bruto, em 2010, suba 0,7%.

Para 2011, o Banco de Portugal prevê uma recuperação mais dinâmica da economia, com crescimento de 1,4%, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira (12) no Boletim de Inverno da entidade.

A estimativa de crescimento para 2010 é baseada na recuperação da procura interna, consumo privado e exportações.

Já em relação a 2009, o Banco de Portugal manteve as estimativas de contracção do PIB de 2,7%.

No seu relatório, o BdP considera que “o crescimento da actividade económica projectado para 2010 e a aceleração que se antecipa para 2011 reflectem uma recuperação da generalidade das componentes da procura privada, num contexto em que a procura externa dirigida às empresas portuguesas deverá ter retomado uma trajectória de crescimento a partir da segunda metade de 2009”.

Os analistas do banco central português prevêem que, este ano, o consumo privado cresça 1%, o consumo público poderá aumentar em 0,7% e a procura interna 0,3%.

O mercado de trabalho, de acordo com as análises do Banco de Portugal, continua a evidenciar altas taxas de desemprego.

“No que respeita à procura interna, a sua evolução em 2010 e 2011 deverá continuar a ser condicionada pela deterioração das condições no mercado de trabalho, pela persistência de fragilidades de natureza estrutural, assim como pela incerteza associada ao reinício do processo de consolidação orçamental”.

No âmbito do comércio, o Banco de Portugal prevê que as exportações aumentem, este ano, 1,7% e as importações 0,3%. Já o investimento continua com sinal negativo, apontando o Banco de Portugal para queda de 3,4 %.